Especial #outubrorosa: minha história

Padrão

Laco_Outubro_Rosaoi, gente, td bem? Eu sei que vocês não devem mais aguentar ouvir falar de outubro rosa- até porque as empresas aproveitam essa campanha pra vender suas marcas e aí já viu né. Mas eu não poderia perder a oportunidade de compartilhar minha história aqui no blog e conversar um pouquinho sobre o que está por trás desse marketing todo.

Se você é homem e não se acha inserido no contexto “câncer de mama”, entenda que seu incentivo pode salvar a vida de mulheres ao seu redor, como sua mãe, sua irmã ou sua namorada. Se você é mulher mas ainda não chegou aos 40 (a idade em que a mulherada precisa estar mais atenta), saiba que eu tenho apenas 21 anos e já tenho muito o que contar sobre o assunto. Então vamos lá.

Eu sempre fui de fazer o auto exame pra ver se estava tudo ok com minhas mamas. Até que um dia eu percebi que não estava tudo ok, havia um nódulo. Numa consulta de rotina com minha ginecologista, eu falei com ela sobre o nódulo, ela deu uma examinada e pediu uma ultrassonografia. Com o resultado do ultrassom, a gineco percebeu que o formato do nódulo era suspeito e me encaminhou a uma mastologista, porque seria melhor pra mim ter o acompanhamento de uma especialista.

Quando a mastologista me examinou e viu meu exame, me explicou que o nódulo tinha características tanto de um nódulo maligno como de um nódulo benigno, mas que apenas uma punção poderia dizer com certeza. Pra quem não sabe, a punção é o exame em que o médico retira um pedacinho do nódulo através de uma agulha. Esse pedacinho de nódulo é então submetido a uma análise histológica para ser avaliado como maligno ou benigno. Fui então fazer a punção – declaro que de longe foi a pior experência da minha vida. Pense você exposta num laboratório com estranhos enfiando um monte de agulha nos peititos.

Para alívio da família, o exame mostrou que o nódulo era benigno. Quando retornei à mastologista, ela disse que, mesmo sendo benigno, o melhor a se fazer nesse caso seria retirar o nódulo, para evitar futuras eventuais complicações. E lá fui eu de novo. – declaro que foi péssimo também rs. Pense em você exposta numa sala de cirurgia com um monte de gente examinando e preparando o seu peitito para a cirurgia. Aí você leva pontos, faz curativo, fica sem poder mexer o braço por dias e por aí vai…

Hoje, quase 1 ano após a cirurgia, descubro que há mais dois nódulos no mesmo lugar. Vamos aguardar os próximos capítulo disso tudo que, se Deus quiser, não serão nada de mais. Amém, igreja? rs.
Com a minha história quero terminar esse post #outubrorosa ressaltando 5 coisas:

shutterstock_86339884

*Faça sua parte. Gente, o auto exame é muito importante. Faça durante o banho, deitada pra dormir, enquanto hidrata o corpo… crie esse hábito. Quanto mais a gente se conhece, mais facilmente identifica qualquer mudança. E não pense que isso só vale para as quarentonas, afinal acabei de contar aqui a minha história.

*Procure um especialista. Tendo identificado ou não alguma anormalidade em suas mamas, procure um especialista. No meu caso, por exemplo, o primeiro nódulo fui eu que identifiquei, mas os outros eu não percebi nada, quem identificou foi a médica. Fale com sua gineco, ou então procure uma mastologista periodicamente, mas não deixe de discutir o assunto com um especialista e fazer exames, como o ultrassom e a mamografia. E não fique com vergonha, nem de ficar nuzinha no consultório. Os médicos já estão acostumados, e eles estudaram pra isso, pra cuidar da gente!

*Se as coisas não derem certo. No meu caso o nódulo era benigno, mas conheço muita gente que infelizmente teve um diagnóstio diferente. Independete do seu diagnóstico e dos momentos difíceis que você possa passar (como a punção, a cirurgia e a descoberto de mais nódulos no meu caso), lembre-se que temos um refúgio. Jesus é aquele pra quem podemos desabafar todas as nossas dores e os nossos medos. Quando eu estava lá naquele laboratório com um monte de agulhas sendo enfiadas em mim, a única coisa que eu pensava era “Espírito Santo, fica comigo”. Nessa vida a gente está sujeita a aflições, a bíblia nos diz isso. E quando temos que enfrentá-las, a companhia do Príncipe da Paz nos ajuda a ser fortes e dar conta do recado.

*Apoie quem passa pelo problema. Se você tem alguém por perto que esteja passando por algo do gênero, dê uma força. Qualquer apoio vale, seja pra ajudar sua amiga a esquecer os problemas com um cineminha, seja pra usar lenço com ela, seja pra abraçá-la na hora da dor… qualquer coisa. Inclusive doar cabelos, que foi o que eu fiz!

10548339_10152161269081595_4393537434534494920_o

*Divulgue essa causa. Essa história de câncer de mama pode estar enjoativa pra gente, mas existem muitas mulheres que não tem tanto acesso à informação e acabam se prejudicando por isso. Incentive o auto exame, acompanhe amigas ao consultório, divulgue posts como esses. O objetivo é que as pessoas acometidas com o câncer, o descubram logo, afinal, se o tratamento começar cedo, as chances de cura são muito altas.

Gente, é isso. Me desculpem por qualquer detalhe sórdido, mas tem horas que a conscientização nos faz dizer essas coisas rs. E não se limite por medo de exames e resultado de exames. Se eu não tivesse passado por tudo isso agora, talvez tivesse que passar por coisas piores futuramente.

Um beijo enorme aos meus leitores! Até a próxima (:

Overdoses musicais do momento

Padrão

Sabe quando a gente fica viciado em uma música, coloca no ‘repete’ e ouve freneticamente até não aguentar mais? rs Sou definitivamente profissional em fazer isso =p. É claro que depois de tantas repetições, preciso trocar o disco e fico um bom tempo sem conseguir voltar na música kk Mas nada paga aquela emoção de ligar o som no último volume e cantar loucamente com a vassoura de microfone kk #quemnunca

Mas depois de um tempo, parece que a gente se cansa de todas as músicas da playlist e nem aquela preferida dá pra ouvir rs Isso já aconteceu com você? É um tanto desesperador…. aí a gente sai por aí mendigando indicações pra dar uma renovada e continuar a vida (até porque a vida precisa de uma trilha sonora 24h por dia né kk).

Por conta disso, hoje vou compartilhar com vocês quais tem sido minhas overdoses do momento. Quem sabe você não esteja saturado das suas músicas e queira algo novo? Selecionei 10 músicas que invadiram minha playlist e se tornaram as favoritas das últimas semanas. Quanto ao estilo? Tem de tudo, minha gente, de Sandy à Baruk rs Sou bastante eclética no sentido musical e gosto de tudo um pouco.
Espero que vocês gostem das indicações e não resistam ao que é diferente de seu estilo. Sempre vale a pena conferir o novo e acabar se perguntando “wow, como eu não ouvia isso antes?” rs Um beijo, até a próxima <3
.
 1. Eu preciso dizer que te amo (cover da Ray): gente, esse cover foi feito só na voz e no violão. É claro que sou suspeita pra falar sobre versões acústicas, mas essa tá linda mesmo! Um sonzinho super gostoso de ouvir e com aquele clima romântico que todo mundo gosta. A Ray na verdade é uma guru de beleza, mas com esse vozeirão que tem, ainda bem que ela não se limitou a falar sobre cachos rs. Nesse vídeo ela e seu namorado Jeff cantam uma versão maravilhosa da música lendária do Cazuza.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.10.42
.
2. Ele continua sendo bom (Baruk e Marcela Taís): o disco dessa música acabou de ser lançado e se chama Graça. O Baruk e a Marcela são cantores que eu acompanho e admiro há muito tempo. E claro que a união deles não ia fugir disso: melodia e letra sempre perfeitas! Essa música é muito delícia de ouvir, bem tranquilinha. E a letra? Só ouvindo pra conferir como é tudo! Estou doida pra comprar esse CD do Baruk, ele é fantástico e sempre escolhe melodias maravilhosas para versos que retratam detalhes de tudo que nosso coração sente.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.11.00
.
3. Make you feel my love (Adele): Se eu um dia você quiser me dar um presente, me leve ao show da Adele. Ela é fantástica! Fico admirada com a capacidade de suas letras de expressar exatamente aquilo que a gente sente durante uma fossa rs e claro, na voz que só ela tem. Geralmente as pessoas pensam em apenas três músicas quando se fala de Adele: Set fire to the rain; Someone like you e Rooling in the deep. Mas é impossível não recomendar One and Only, I cant make you love me, Turning tables e tantas outras que são simplesmente maravilhosas. Outras não né, todas! rs Make you feel my love ganhou nessa última semana…simplesmente incrível, diz tudo.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.11.15
.
4. Pés cansados (Sandy): Pois é, gente… Sandy! Confesso que por muito tempo resisti às canções dela depois da separação da dupla épica Sandy&Júnior. Mas não tem jeito, né gente, quem é bom é sempre bom. Depois que decidi conferir suas músicas nessa carreira solo, simplesmente me apaixonei – o que já era de se esperar, porque qualquer ser humano tem pelo menos uma música dela na trilha sonora da vida rs. Enfim, essa música é linda e merece ser ouvida.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.11.40
.
5. Chasing pavements (Adele): Sim, mais uma da diva. Eu poderia fazer um post inteiro desse só com músicas da Adele rs que difícil ter que escolher só duas. Rumor has it e Daydreamer também merecem um destaque, mas essa música…ah essa música rs Chasing pavements tem um toque especial, é uma das minhas preferidas. E o clip? Sensacional! Fico impressionada com mais uma canção em que Adele deu conta de registrar tudo que um coração pensa, cada dilema.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.12.05
.
6. Criador do mundo (Daniela Araújo): Ok, confesso que não sou a fã número 1 da Dani. Mas admito que essa música é top. Do novo cd, que leva o mesmo nome, Criador do mundo, essa é a que mais gostei. Ah, e se vc também não gostar da introdução, aguente firme, a música encanta e vicia.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.12.21
.
7. Morada (Sandy): Bem que eu avisei que sua carreira solo deu certo, cá está Sandy de novo rs Gente, pensa numa música! rs “Como cortar pela raiz, se já deu flor? Como inventar um adeus, se já é amor?” Não preciso dizer mais nada, que letra! E que melodia! Esse cd “Sim” está incrível, mas Morada realmente precisa de um destaque. Impossível não apertar ‘repete’ e ficar filosofando sobre a vida rs
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.12.32
.
8. Não tenho o dom (Marcela Taís): Ao contrário da indicação 2, essa é uma música só da Marcela. Seu estilo é bem menininha e suas músicas são muito fofas. Posso destacar ‘menina não vá desanimar’ e ‘cabelo solto’. Mas ‘não tenho o dom’ mexe comigo de um jeito diferente. Gente, que letra, que letra! E mais uma vez o acústico vem pra aquecer o coração! rs “se tu me escutas então falo a ti. Se não lhe vejo, não o deixo de sentir. E se me enlaças eu não quero mais sair”. Sou fã, não tem jeito rs.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.12.48
.
9. Outono (Os arrais): Ah, essa música. Quantos momentos difíceis passei ao som dessa melodia. As músicas dos Arrais são muito top, mas dessa posso falar com propriedade rs Mais uma vez a corda do violão se faz presente e encanta. “Que esta melodia me recorde destes dias, em que mesmo sem sentir sua presença, eu sei que estava aqui.”. Pena que não dá pra dar um ctrl v na letra inteira rs os versos são incríveis.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.13.01
.
10. Beautiful things (Gungor): Quando ouço essa música lembro da frase de uma amiga “apesar das cabeçadas, Ele continua trabalhando”. Essa música é sensacional. Que voz, que melodia, que letra, que tudo! Não tem o que falar, é uma delícia perder horas nessas vozes. A mensagem dessa música é perfeita, nos fala sobre quando ” I wonder if I’ll even find my way, I wonder if my life could really change at all” e “You make beautiful things out of us”. Perfeita.
Captura de Tela 2014-06-29 às 02.13.16
.

Registros, faça já os seus

Padrão

Você já parou pra reparar que a fotografia é um dos meios mais eficientes pra registrarmos momentos importantes? Um simples flash é capaz de capturar cenas incríveis e revelar o quanto foi precioso aquele segundo. É por isso que hoje quero te incentivar a registrar aquilo que é importante pra você. No meu caso, eu registrei a dança, mas se você luta, pesquisa, cozinha ou toca, reserve um dia pra fotografar esses momentos. Infelizmente, não são todos que têm acesso a um fotógrafo profissional para montar um book, mas não se limite por conta disso… Se for preciso, chame sua mãe e peça pra ela fotografar com a câmera do celular, mas não deixe isso pra depois. É muito bacana ver esses nossos registros com o passar do tempo… dá pra matar a saudade e perceber que aquele peito de pé não era tão chato, aquela minha perna não era tão enferrujada e eu nem era tão ruim quanto imaginava rs Enfim, galera…essa é a dica de hoje…e para incentivá-los ainda mais a agendarem seus flashes, quero compartilhar com vocês dois vídeos e um book que tive a oportunidade de fazer enquanto dançava e que, só hoje, percebo o quanto foi importante tê-los feito.

Essas minhas fotos são da fotógrafa Débora Souza. Fiz o book na época do ensino médio, quando ainda dançava.

.

Este slideshow necessita de JavaScript.

.

É claro que vídeos também contam! Este foi um ensaio da companhia que eu fazia parte, a Cia Essência (antigo grupo de ballet da PIB SJC)!

.

.

Essa foi uma das últimas vezes que dancei com a Cia Essência. Foi uma correria pura! A coreografia foi elaborada, ensaiada e dançada no mesmo dia!

.

O amor pela dança sempre fez meu coração bater mais forte. Seja numa coreografia elaborada, ou até mesmo naquela pirueta sem compromissos, a sensação é a mesma: gratidão por fazer parte desse mundo; um mundo onde o belo é traduzido entre o passo e o compasso; um mundo em que mover-se é poético, é digno, é cheio de amor; um mundo que pode muito mais do que podemos imaginar.

Espero que tenham gostado, que registrem seus hobbies e voltem pra me contar! Um beijo, e até a próxima (:

Papo sobre sustentabilidade

Padrão

Hoje quero trazer pra vocês um papo diferente, sobre sustentabilidade. Afinal, é nosso dever cuidar da natureza e administrar com sabedoria os recursos que ela dá pra gente. Sabemos que um dos recursos mais importantes que a natureza nos oferece é a água. Por sorte, aqui no Brasil temos muita água, mas não é por isso que podemos usá-la de forma descontrolada. E por isso a dica de hoje é pra te ajudar nesse uso consciente!

A dica é basicamente o seguinte: reutilizar a água da máquina de lavar roupa. Pense comigo… todo mundo lava roupa e, portanto, toda semana todo mundo joga fora uma quantidade absurda de água. Essa água não é potável, claro, mas pode ser reutilizada para lavar o quintal ou a calçada, por exemplo. Tudo que você precisa é de um lugar pra armazenar a água que seria jogada fora, como um balde grande. Aí, toda vez que você estiver lavando roupa, é só pegar a mangueira de descarte e direcionar para o seu “reservatório”. E voilà! Essa parte de direcionar a mangueira para o balde é bem simples, ta? Não se assuste rs É só mover, não tem nada de encanamentos ou coisas complexas envolvidas rs.

Imagem

Aqui na minha casa a gente já faz isso há um bom tempo e é muito bom ver a quantidade de água que seria jogada fora, mas que conseguimos reaproveitar. Ainda mais tendo a Nina minha cachorrinha, pois temos sempre que estar lavando o quintal e isso gasta uma água danada.

Ah, e lembre-se: não é pelo dinheiro e pela conta que virá no final do mês porque, se fosse, os ricos não precisariam se mobilizar, não é mesmo?! rs Isso tudo é uma questão de amor pelo meio ambiente, pelo nosso meio ambiente; pela preservação dos recursos que nos sustentam todos os dias! Bom, espero que tenham gostado e que coloquem essa ideia em prática. Bjks e até os próximos posts (:

boas-dicas-economizar-agua

Série sobre as pessoas – episódio 2.

Padrão

Em março do ano passado escrevi o post “Sobre as pessoas“, um texto bem curtinho mas que gostei muito de publicar. Hoje quero dar continuidade a essa série de posts sobre relacionamentos, com o objetivo de compartilhar o que tenho aprendido sobre viver em comunidade. Espero de coração que vocês gostem e que, de alguma forma, essas palavras façam a diferença no seu modo de pensar e agir. Neste post quero falar sobre duas situações cotidianas diferentes mas que exigem de nós atitudes bastante semelhantes:

[Não leve tudo para o lado pessoal]

Minha blogueira número 1 com certeza é a Flavinha. Ela é uma pessoa incrível… quem assiste seus vídeos pode confirmar que qualquer minuto do que ela diz faz todo sentido e nos leva a questionar “isso é incrível, como nunca pensei dessa forma antes?” rs. Umas das coisas que aprendi com ela é o seguinte: Não leve as coisas para o lado pessoal. Acredito que a maioria avassaladora das brigas/desentendimentos não tem fundamento. Quando algo acontecer ou quando alguém fizer algo e você se sentir ofendido, cogite a possibilidade daquilo não ter sido intencional. Cogite a possibilidade daquilo não ter sido de propósito pra te ofender, ferir ou atingir. Às vezes/sempre temos a tendência de levar tudo para o lado pessoal…como se qualquer coisa que acontecesse fosse friamente calculada contra nós. Calma, gente, pode ter sido tudo um mal entendido…Eu poderia escrever um inteiro livro sobre isso…situações em que outras pessoas ficaram chateadas pensando isso ou aquilo de algo que fiz mas que, na verdade, não tinha NADA A VER…situações em que outros interpretaram minhas atitudes de forma equivocada (e prejudicial para nossa amizade) enquanto eu nem estava sabendo da história rs. Mais uma vez: cogite outras possibilidades e não leve tudo para o lado pessoal, porque pode não ter sido pessoal. Ah, e se você descobrir que de fato foi pessoal, releve, ninguém é perfeito mesmo (:

[Não julgue, cogite possibilidades] 

Sempre que meus pais e eu estamos andando de carro e, de repente, passa outro carro fazendo barberagem ou correndo muito ou ultrapassando de modo sem noção, minha mãe defende o motorista: “calma, gente… às vezes tem alguém passando mal dentro do carro e estão indo às pressas para o hospital, ou aconteceu alguma coisa…”. Na verdade minha mãe sempre faz isso, e aprendi com ela: não julgue, mas cogite possibilidades. Por exemplo, a pessoa agiu de forma hostil com você, não saia por aí falando mal dela e dizendo que ela é isso ou aquilo… pois a pessoa pode estar com problemas em casa, passando mal, ou qualquer outra coisa, e simplesmente explodiu naquele momento… E nem tente alegar “Nada a ver…a pessoa tem que saber deixar os problemas em casa.” Não concordo! Todo mundo tem seu bad day, nem sempre damos conta de deixar em casa as preocupações e não existe licença médica pra gente ficar em casa quando isso acontece.

A escada e a vida

Padrão

little-explorers-168263_1920Hoje pela manhã, estava passando um programa na tv em que diversos artistas discutiam o tema ‘felicidade’. Um dos participantes fez um comentário que chamou minha atenção:

A gente às vezes pede muito, a gente às vezes olha muito para os gigantes da vida e esquece de agradecer pela vida que a gente já tem. Por mais difícil que seja, vamos agradecer.

Essa fala ficou ecoando na minha mente por todo o dia, e me trouxe um novo post.

É incrível como o futuro tem o poder de nos arrebatar todos os dias. Temos sempre em mente aquilo que queremos, onde queremos chegar, quem queremos ser, com quem queremos estar… mas em meio a tantos anseios acabamos nos perdendo e esquecemos de tudo aquilo que já conquistamos até aqui. E cada dia que passa se torna só mais um dia, mais um dia a caminho do que ainda nao obtivemos.

É como se você tivesse uma escada com muitos degraus pra subir… E a cada degrau, você só pensasse em quantos faltam, sem ficar feliz por todos aqueles que você já subiu. E nessa jogada, vivesse dia e noite… Frustado porque ainda não alcançou o topo. Neste exemplo, o topo da escada é a realização do seus sonhos, das suas metas.  E diferente do que aparenta, não é que você nunca avança ou que o topo está sempre tão distante… Mas você nunca para pra pensar no que já conseguiu avançar. Porque quando mal conquista alguma coisa, já está hipnotizado pelo que ainda não alcançou. E é como se tudo aquilo que ainda falta ser alcançado invalidasse tudo aquilo que você já conquistou. E é isso que acaba com nossos dias.

Sabe, não é justo invalidar nossas conquistas até aqui. Afinal, o lugar em que nos encontramos hoje é fruto da jornada que já demos conta de caminhar um dia. O hoje é o futuro do ontem; o degrau em que estamos hoje foi aquele pelo qual já nos esforçamos muito pra alcançar. Ignorar essa conquista é ignorar a realização do que já sonhamos um dia.

Talvez o lugar em que nos encontremos hoje ainda não seja o topo, mas é o que nos levará a ele; talvez ainda não seja o topo, mas é o que já podemos chamar de “nossa conquista”; E se estamos tristes porque esse lugar intermediário não é tudo que idealizamos, ainda assim devemos celebrar, pois sabemos que as frustrações também são capazes de nos ensinar e nos trazer proveito, não é mesmo?

Uma vez ouvi que a felicidade está relacionada à gratidão. E depois de hoje posso concordar que há muitas verdades nesse conceito. Se ainda não estou no tão sonhado topo da escada, tenho duas opções: posso me frustrar pelo que ainda não alcancei ou ser grata pelo que já conquistei. Tecnicamente, nem a frustração e nem a gratidão vão me fazer pular degraus, mas sem dúvida não é a frustração que vai me deixar mais leve ou me fazer bem; mas a gratidão tornará minha jornada mais gostosa de ser vivida, entende? E é de uma vida que vale a pena ser vivida que estamos falando. Acho que precisamos parar de rotular o topo da escada como “felicidade”, e decidir vivê-la em todos os degraus da nossa vida.

Feriado no campo (:

Padrão

Nessa última quarta feira, tive a oportunidade de curtir meu feriado de 19 de março no campo. Nada melhor que deixar a cidade, o trânsito caótico, as buzinas e os compromissos e passar um tempinho ao lado na natureza! O lugar que me acolheu dessa vez foi o Ariege Colonial Hotel, um lugar longe de tudo e de todos, super aconchegante e com a melhor vista da cidade de São Francisco Xavier. O hotel fica a 5 minutinhos do centro da cidade que, a propósito, é uma graça! Mas, se você é mais radical, pode curtir a cachoeira que fica super pertinho também!

Vamos às fotos… aqui tem a suíte com sacada e, ao lado, a vista da sacada! Incrível né!

Imagem

.

E aqui tem a piscina…gente que vista linda! E ao lado, a cachoeira super badalada!
Imagem

.

Se vocês quiserem mais fotos e informações, é só acessar o perfil do hotel no facebook, por AQUI.

E pra ver o vídeo comercial deles, é só apertar o play:

Entrevista da vez: Gisele Souza-Receitas de Minuto

Padrão

gisele_souza_receitas_de_minuto2

Hoje estreamos aqui no blog a série Entrevista da Vez, um espaço para conhecermos um pouquinho mais sobre famosos da internet. Em parceria com nossa página Cooking, nossa convidada de hoje é a Gisele Souza do canal Receitas de Minuto!

Marylin Daísa: Apresentação pessoal

Gisele Souza: Oi, sou Gisele Souza, tenho 28 anos moro em São Paulo, não tenho nenhum curso superior, porém tenho o aprendizado da vida, sou Designer de coração,  e ficar no sofá com um balde de pipoca vendo um bom filme ou seriado é o que faço nas horas vagas.

MD:  Qual é sua história com a culinária? Quando começou, quem te ensinou? Conte-nos um pouquinho sobre isso.

GS: Basicamente cresci dentro da cozinha, pois minha mãe sempre estava lá fazendo alguma coisa gostosa e eu adorava ficar olhando ela cozinhar ainda mais quando fazia pães, assim eu também podia ajudar brincando de sovar a massa, mesmo tendo sido criada na cozinha minha mãe nunca parou realmente para me ensinar a cozinhar, então o pouco que sei hoje aprendi observando ela, ou com a nossa querida internet.

MD: Quem é seu grande ídolo na culinária e quem mais te incentiva a seguir nesse ramo?

GS: Olha não tenho um grande ídolo, mas admiro algumas pessoas como Nigella, Jamie Oliver sempre me inspirei no tipo de culinária que eles ensinam e a forma que são seus programas. A pessoas pessoas que mais me incentivam sem duvida é minha Mãe e o Namorado que além de dar apoio, experimentar as receitas, também edita os vídeos e cuida da parte técnica do blog.

MD: O que seu contato com a culinária e a gastronomia te ensinou e que hoje você leva pra vida?

GS: Diria que para ter sabor, textura não precisa ser complicado, basta tem um pouco de calma e criatividade e isso funciona para dentro e fora da cozinha, né?

MD: Quais são seus sonhos e projetos hoje?

GS: Pretendo continuar com o Receitas de Minuto e com ele alcançar mais objetivos e ter mais conhecimento desse mundo culinário. Ultimamente tenho pensado em cursos específicos como Culinária Japonesa ou quem sabe um Técnico em Nutrição, vamos ver onde a vida me leva daqui pra frente.

receitas_para_o_feriado

MD: Qual é a sua opinião sobre o veganismo e suas versões?

GS: Sou uma admiradora da culinária e apaixonada pela culinária vegana e vegetariana, acho que eles são muito criativos para achar substituições que funcionam para as receitas e sempre me surpreendo com alguma nova forma de substituir isso ou aquilo, por isso sempre que posso procuro visitar restaurantes dos gêneros para conhecer esses novos sabores.

   E aí, gostaram? Para acompanhar mais de pertinho o trabalho da Gisele, é só segui-la em suas redes sociais:

 Site  Youtube  Facebook  Twitter  Instagram

Para homens e mulheres

Padrão

1452551_275484762576436_190135973_nNão estamos falando de feministas ou machistas, não estamos falando de guerra de sexos ou do sexo frágil. Isso não é uma guerra, isso não é uma disputa, não há melhor, pior, superior ou subordinado. Estamos falando daquilo que Deus, em sua infinita sabedoria e seu grande amor, reservou para nós; aquilo que a bíblia nos orienta, aquilo que a palavra de Deus julga ser o melhor para nós. Muitos são os que discordam, os que não crêem ou simplesmente não estão dispostos a vivenciar. Mas abra seu coração para, pelo menos, ouvir um pouquinho daquilo que Deus fala sobre família, desde a conquista até o sexo e a edificação do lar.

Esta é uma entrevista com o Pr Felipe Heiderich, esposo da querida Bianca Toledo. Nestes 50 preciosos minutos, ele fala um pouquinho do papel do homem, seus dilemas perante a sociedade atual e de seus desafios diante de Deus, do casamento e da vida.

Se você é mulher, aproveite para conhecer um perfil de homem quase extinto nos dias de hoje, mas que com certeza vale a pena estar em nossas orações quando pedimos a Deus um esposo.

Se você é homem, aproveite para se inspirar e compreender o que Deus tem pra você. Abrace essa causa e aceite o desafio de ser homem, de ser o homem que Deus te criou para ser.

E lembre-se: absolutamente TUDO o que Deus tem para nós, homens ou mulheres, é bom, perfeito e agradável.

Aperte o play, atente seus ouvidos e abra seu coração, vale muito a pena, acredite! (:

Isso não é auto ajuda

Padrão

Ultimamente tenho percebido que as pessoas não sabem a real diferença entre “valor” e “produtividade”. E não saber essa diferença tem gerado frustrações, baixa autoestima e, consequentemente, sérias dificuldades em seus relacionamentos. Talvez, se as pessoas compreendessem que não é preciso que elas ‘produzam’ para que sejam valiosas, sua vida seria mais leve, sem tanta culpa, sem aquela necessidade desnecessária de prestar contas e gerar resultados. Como não quero denunciar os inúmeros exemplos ao meu redor, vou falar da minha história.

Até metade de 2012 eu sempre fui muito ativa. Minha agenda nunca teve espaço para coisas simples, porém importantes, como ler uma revista, curtir a família ou simplesmente descansar. A todo tempo tinha uma check list enorme para cumprir… eram reuniões, trabalhos, ensaios, estudos,..ah que canseira rs. Nesse período eu produzi muito: fiz diversos cursos, dei aulas, me dediquei à pesquisa na faculdade, liderei pessoas e atividades. Entretanto, a partir da segunda metade de 2012 minha saúde se revoltou contra mim e fui forçada a interromper todas as minhas atividades. TODAS. Agora em janeiro/14 completei o décimo quinto mês a não produzir nada. Sem faculdade, sem trabalhos, sem cursos, sem projetos, sem reuniões, sem aulas, sem check lists, sem nada.

Esses quinze meses foram bem difíceis, não apenas pelas complicações em minha saúde, mas também por estar vivendo uma realidade completamente diferente da que eu estava habituada a ter e da que esperavam que eu tivesse. Mas o que me ajudou durante esse período foi saber que a minha produtividade não tem absolutamente nada a ver com o meu valor. Ou seja, por mais que o mundo tente me impor o contrário, seja no ativismo desenfreado ou em casa vendo sessão da tarde; seja em congressos importantes ou no hospital; seja como primeira aluna da classe ou em tratamentos psiquiátricos, o meu valor é o mesmo: irrefutável, inesgotável e grande demais! E isso vale não só pra mim, de forma alguma, mas para todos aqueles que simplesmente existem. E é justamente pra lembrá-los disso que hoje estou escrevendo.

Se você está numa cadeira de rodas e mal consegue tomar um banho sozinho; se você é o funcionário do mês; se você acabou de ser demitido; se você foi promovido; se as pessoas te elogiam o tempo todo; se você perdeu seus poucos amigos; se você passou no vestibular; se você não passou no vestibular; se você simplesmente existe, o seu valor excede o valor de qualquer joia, e você não precisa provar o seu valor para quem quer que seja! Nunca se esqueça disso e não permita que desinformados te digam o contrário.

Esse meu discurso inclui também nossos esforços. Precisamos compreender dois pontos. O primeiro deles é que devemos fazer as coisas de acordo com as nossas forças, foi Jesus que nos orientou assim. Ou seja, se o peso em suas costas estiver muito grande e dar conta de tudo estiver muito difícil, significa que é hora que repensar sobre suas prioridades e aceitar que não dá pra abraçar o mundo. Selecione as atividades que você vai dar conta de administrar, por mais que sejam mínimas, e siga satisfeito. Não ligue para as pessoas que não compreenderem essa sua decisão e te julgarem ou desprezarem, ok? Apenas lembre-se que seu valor é o mesmo, e nenhum atividade a mais ou a menos vai mudar isso, afinal sua produtividade não tem nada a ver com seu valor.

O segundo ponto tem muito a ver com o primeiro e, particularmente, tenho muito o que falar dele rs. Devemos aceitar que há tempo para todas as coisas, a bíblia nos diz isso. Então, se é tempo de rever prioridades, abrir mão do ativismo desenfreado e, de fato, fazer as coisas de acordo com as nossas forças (e não de acordo com as expectativas dos outros), ok. Isso não é um problema, é sabedoria; isso não tem a ver com valor, tem a ver com produtividade.

Respeitar os limites do corpo e da alma é um privilégio de poucos, somente daqueles que abrem mão do orgulho e aceitam que a vida é curta demais pra nos preocuparmos com aquilo que dizem e pensam a nosso respeito. Portanto, tenha sempre em mente quem você é e quão precioso é, pois nem sempre atenderemos às expectativas dos outros, e isso não pode nos afetar.  A partir do momento que você entender essa verdade, sua vida será mais leve, sem tanta culpa, e você não sentirá mais aquela necessidade desnecessária de prestar contas e gerar resultados, pois resultados não revelam seu valor – somente o amor de Cristo revela seu valor, mas isso já é outra história.